All posts by rodrigo

Professor of Astrophysics, Universidade de Sao Paulo

Participação no podcast Ciência Sem Fim

Ontem tive o prazer de participar do podcast Ciência Sem Fim, do Sérgio Sacani. Fiquei impressionado com a clareza de pensamento do Sérgio, sua organização e energia inesgotável. Três horas de papo sem parar não é mole não, mas o Sérgio faz parecer fácil. 🙂

Gravação no youtube da participação de Rodrigo Nemmen no podcast Ciência Sem Fim, com Sérgio Sacani.

Há também muitos cortes do papo com o Sérgio, disponíveis no canal do Ciência Sem Fim.

Que o podcast continue por muitos anos, trazendo muitos outros pesquisadores. Viva a ciência!

Participação no novo programa da CNN Brasil: A nova corrida espacial

Em agosto participei do novo programa da CNN Brasil: o CNN Business, falando sobre a nova corrida espacial encabeçada não mais pelos governos federais, mas agora pelos bilionários do setor privado — Elon Musk, Jeff Bezos e Richard Branson.

Comentei sobre o que a exploração espacial nos traz, do ponto de vista científico e econômico, e porque esses bilionários estão interessados na exporação espacial.

O programa foi ao ar em agosto, pré-gravado. Clique na imagem abaixo para acessa-lo.

Participação no novo programa CNN Brasil Business.

Conversa com um astrólogo no youtube

Na última quinta-feira participei da gravação de um canal popular no youtube, o Spotniks, cuja proposta é colocar duas pessoas que não se conhecem e não sabem nada uma da outra, para conversar, cara-a-cara. Quando me convidaram, eu achei a proposta muito divertida, e acabei topando participar do programa.

Adivinha quem eles colocaram para conversar comigo. Depois de aceitar ir ao programa, e vendo a lista de vídeos que eles produziram, eu suspeitava que a produção iria me parear com uma das seguintes opções: A) um terraplanista, B) um astrólogo, C) um ufólogo, D) um curador quântico.

Bem, eles colocaram do outro lado o Alexandre, um senhor muito simpático que, além de acupunturista, psicoterapeuta, homeopata e ambientalista (nas palavras dele), também é… Astrólogo.

O vídeo final disponibilizado no canal (“colocamos um astrônomo e um astrólogo para conversar”, Spotniks) foi editado para caber em menos de cinquenta minutos, mas a conversa na verdade durou duas horas e meia (!!). Estimo que 90% desse tempo consistiu do astrólogo ficar falando — de maneira nada sucinta ou objetiva — como os astros supostamente afetariam os eventos na Terra, porque os astrólogos (não) são bilionários e afirmando que astrologia é uma ciência (não é). Nos 10% restantes desse tempo eu usei o método socrático e fiz umas perguntas bem básicas sobre astrologia e seus métodos. Vocês podem conferir como foi a conversa no vídeo abaixo.

Confesso que depois de duas horas de enrolação eu já estava duplamente ranzinza: por causa da fome (a conversa começou às 11h e se estendeu além das 13:30), e por já ter perdido a paciência por não ter respostas objetivas do meu parceiro.

Não sei qual será a reação dos youtube-espectadores. De qualquer forma, eu me diverti durante a conversa. Afinal de contas, foi pra isto que eu aceitei o convite da Spotniks.

Atualização 14 de maio 2021: O vídeo do spotniks foi retirado do ar.

Atualização 28 de maio 2021: O motivo do vídeo ter saído do ar é que o astrólogo está processando o spotniks por danos morais, devido aos comentários deixados pela audiência no vídeo do youtube (!?!). Foi determinado que o vídeo fosse suspenso, enquanto o processo está correndo. O andamento do processo pode ser acompanhado no TJSP, processo número 1006119-77.2021.8.26.0016.

Atualização 3 de junho 2021: Fiquei sabendo que quem publicou vídeos de reacts ao vídeo do spotniks receberam notificações extrajudiciais do advogado do astrólogo para retirarem seus vídeos do ar. Ou seja, na prática, desapareceu do youtube qualquer traço de que a conversa aconteceu.

Matérias sugeridas na graduação da USP para futuros astrofísicos

Frequentemente me perguntam quais as matérias na graduação da USP eu sugeriria para estudantes de física e de outros cursos que desejam ter uma base sólida em astrofísica.

Bem, eu primeiro lugar eu recomendo fazer o curso de graduação em astronomia que oferecemos no IAG USP. Neste curso, os estudantes recebem uma formação sólida para entender os processos físicos por trás do universo, assim como aprendem as ferramentas computacionais necessárias para se fazer descobertas.

Caso você esteja cursando física, ainda assim é possível ter uma formação sólida que forneça uma compreensão de astrofísica mais profunda. Eis a lista de matérias que considero importantes. A minha ênfase é numa sólida formação nos processos físicos por trás do cosmos, e em matemática—que é a linguagem do universo:

  1. Mecânica II
  2. Relatividade geral e aplicações astrofísicas
  3. Introdução à cosmologia
  4. Métodos computacionais em astronomia
  5. Mecânica dos fluidos
  6. Eletromagnetismo II
  7. Introdução à física de plasmas e fusão nuclear
  8. Física matemática II
  9. Introdução à física de partículas elementares

Pode ser difícil encaixar todas estas disciplinas no tempo disponível no curso, por isto tentei ordena-las de acordo com a sua “relevância astrofísica”. Para mais informações sobre estas matérias, consulte o Júpiter Web.

Não concorda? Tem sugestões de outras disciplinas? Deixe a opinião nos comentários.

A nova era de ouro dos buracos negros | Palestra

Em 23 de Setembro, eu dei a palestra “A nova era de ouro dos buracos negros” na ocasião do evento Convite à Física, organizado pelos amigos do IF USP.

Os anos 60 foram os anos dourados da pesquisa teórica sobre buracos negros, onde nomes como Roger Penrose e Stephen Hawking elevaram a nossa compreensão física destes estranhos astros a um outro patamar. Neste convite à física, argumentei que entramos em 2009 numa segunda e empolgante era de ouro da pesquisa em buracos negros, impulsionada desta vez por avanços empíricos. Quais são as principais descobertas da nova astronomia de buracos negros? E o que vem pela frente?

A palestra inicia em t=3:10.

Palestra: A nova era de ouro dos buracos negros

Na Quarta-feira, dia 23 de Setembro às 18:00, darei a palestra de divulgação científica intitulada “A Nova Era de Ouro dos Buracos Negros” no evento Convite à Física, organizado pelo IF USP. Seguem as informações abaixo.

A nova era de ouro dos buracos negros

Os anos 60 foram os anos dourados da pesquisa teórica sobre buracos negros, onde nomes como Thorne, Hawking, Wheeler e Zel’dovich elevaram a nossa compreensão física destes estranhos astros a um outro patamar. Neste convite à física, argumentarei que entramos em 2015 numa segunda e empolgante era de ouro da pesquisa em buracos negros, impulsionada desta vez por avanços empíricos. Quais são as principais descobertas da nova astronomia de buracos negros? E o que vem pela frente?

Link para acompanhar o evento ao vivo, dia 23/9, 18:00

Curso “relatividade geral e aplicações astrofísicas” será disponibilizado no Youtube

A iniciativa

Marco Aurélio, o imperador do grandioso Império Romano, escreveu nas suas meditações que

Precisamente porque nós podemos nos adaptar, a mente pode adaptar-se e assim converter um obstáculo para as nossas ações em algo que sirva a um objetivo. […] O impedimento a uma ação pode servir para avançar a ação. O que está no seu caminho torna-se o caminho.

Esta é uma lição imortal de que desafios trazem oportunidades, se os olharmos com outros olhos.

Costumo usar os ensinamentos estóicos na minha vida. Ao aplicar eles neste momento histórico de confinamento global causado pelo COVID-19, que impede que as aulas da maior parte das escolas e universidades no Brasil retornem ao “antigo normal”, decidi transformar um impedimento à ação (a quarentena que impede as aulas normais) em oportunidade.

Assim, disponibilizarei todas as aulas da minha disciplina de graduação de relatividade geral e aplicações astrofísicas—que normalmente seriam presenciais e disponíveis somente para um reduzido número de alunos da Universidade de São Paulo—no Youtube.

Acredito que será um investimento importante do meu tempo o esforço de disponibilizar os vídeos no youtube, para permitir a estudantes que nunca teriam o privilégio de estar na USP ter acesso às aulas do curso.

Dá para se matricular no curso?

As aulas serão disponibilizadas gratuitamente no meu canal no Youtube a partir de 17 de Agosto de 2020 (o início do segundo semestre letivo da USP). A primeira aula de boas-vindas já está disponível e esta é a playlist que conterá todo o curso.

Aula 1 do curso já disponível no Youtube

Inscrições, avaliações, material suplementar e acesso ao ambiente Google Classroom da disciplina mencionado na Aula 1 estarão disponíveis somente para os alunos da USP matriculados na mesma.

Pré-requisitos

Esta é uma disciplina direcionada para estudantes no terceiro ou quarto (último) ano regular dos cursos de astronomia ou física.

Os pré-requisitos são:

  • Curso introdutório de mecânica clássica: leis de conservação, problema da força central, formalismos Lagrangiano e Hamiltoniano
  • Noções básicas de relatividade restrita (Física 4) e álgebra linear são fortemente recomendadas

Agradecimentos

Ao CNPq através da bolsa de produtividade em pesquisa, que me permite custear a assinatura do software de edição dos vídeos.

À Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) através do Auxílio Jovem Pesquisador 2017/01461-2, que permitiu a compra dos computadores usados na preparação, edição e processamento dos vídeos. Editar vídeos é uma tarefa computacionalmente pesada! Os mesmos computadores também possibilitam a minha pesquisa científica 🙂.

O eclipse de sobral e o legado de Einstein

No dia 25 de Maio, participei de um evento no Instituto Moreira Salles celebrando o eclipse de Sobral e o fotógrafo brasileiro marc Ferrez. O vídeo integral do evento integral está online, assim como a palestra que dei no evento sobre “o estranho legado de Einstein: buracos negros”.

O evento contou com uma conversa entre eu, Christina Helena Barboza (ON), Rogério Rosenfeld e Nathan Berkovits (ambos do IFT-ICTP-SAIFR-UNESP) e Sergio Burgi (IMS).

Foram os resultados obtidos através das bem-sucedidas fotografias feitas por astrônomos ingleses em Sobral, em 29 de maio de 1919, que permitiram a comprovação da teoria da relatividade geral de Albert Einstein, inaugurando um novo momento na história da ciência e da própria humanidade. Neste ano em que se comemoram os cem anos daquele eclipse, um novo esforço internacional colaborativo entre vários observatórios e cientistas levou à primeira imagem a ser registrada de um buraco negro. O painel Ciência em Diálogo: especial Marc Ferrez e o eclipse de Sobral discutiu este amplo arco de conhecimentos que une fotografia e ciência ao longo dos últimos 180 anos.

Ferrez é conhecido do grande público por suas fotografias panorâmicas da cidade do Rio de Janeiro e arredores, feitas com câmeras especiais em negativos de grande formato, técnica praticada por poucos fotógrafos do mundo na época